Os indicadores de desempenho da logística

As empresas brasileiras, somente em 2013, destinaram R$ 507 bilhões com gastos em logística, 8,5% da receita líquida do setor privado nacional. O desafio é tornar a empresa mais competitiva, otimizando as operações e reduzindo custos. A forma mais eficaz para tal é conhecer profundamente os processos da empresa e os principais indicadores relacionados à logística.

Os indicadores de desempenho, ou KPI (Key Performance Indicators), refletem a eficiência das operações, gerando dados que podem identificar possibilidades de investimento e gargalos processuais a serem geridos. Dessa forma, os gestores podem criar estratégias de como lidar ou evitar as dificuldades logísticas a fim de otimizar os resultados de exercício.

As informações diagnosticadas pelos indicadores podem levar à redução do tempo gasto em processos logísticos, melhorando desempenho e a qualidade do serviço oferecido. Os indicadores devem ser medidos regularmente para manter o planejamento e controle das informações, além de diagnosticar falhas em eventuais variações.

Para conseguir esses indicadores é importante que a empresa tenha registro de todos seus custos, tempos de processos e capacidade operacional para abastecer ferramentas de TMS (sigla para Sistema de Gestão de Transporte em inglês) e WMS (Sistema de Gestão de Armazém).

Os dados devem ser analisados conjuntamente aos objetivos da empresa, já que proverão informações sobre o contexto atual, para então serem usados na definição de metas futuras. As ferramentas de gestão dão suporte a toda cadeia logística da organização e analisam informações como custos de transporte, estoque e mercadorias em trânsito, manutenção de veículos e armazéns, logística reversa e previsão da demanda.

Com as informações coletadas é possível medir indicadores relativos ao transporte, como percentual de entregas realizadas dentro do prazo, utilização da capacidade do veículo, gastos com manutenção.

Em relação à armazenagem, a gestão de informação gera indicadores de índices de atendimento de pedidos, tempo de ciclo dos pedidos no estoque, precisão do inventário, tempo do veículo no centro de distribuição, curtos e giros de estoque.

Os indicadores podem indicar onde as operações têm mais custos ou apresentam gargalos, informações valiosas ao gestor. Dessa forma, a empresa tem condições de se planejar para otimizar suas atividades e, por sequência, seus lucros.

Ferramentas como o TMS e WMS são essenciais na gestão logística. Com a evolução desses instrumentos, os gestores podem adequá-los para desenvolver os indicadores mais adequados para cada negócio. Dessa forma, os indicadores de desempenho se mostram cada vez mais importantes para maximizar a competitividade de uma empresa no mercado.

Fonte: Bloglogistica